Mosca parasita consegue transformar abelhas em zumbis

0
325

Uma mosca parasita provoca um comportamento estranho em abelhas, segundo descoberta acidental de pesquisadores dos Estados Unidos.

A mosca parasitária chamada Apocephalus borealisque é conhecida por implantar seus ovos nas formigas. As larvas da mosca vivem no cérebro das formigas, dissolvem seus tecidos conjuntivos e, eventualmente, as matam. Os pesquisadores agora têm razão para acreditar que as moscas têm encontrado um novo lar para os seus ovos: abelhas europeias, que são comuns nos Estados Unidos. As moscas depositam seus ovos nas abelhas que, eventualmente, chocam, causando estragos nos corpos de seus hospedeiros.

As abelhas começam a apresentar um comportamento errático e bizarro, que é típico de um zumbi. Estas abelhas infestadas foram descobertos em 2008, na Califórnia, por John Hafernik, professor de biologia na San Francisco State University.

Desde a descoberta inicial, as abelhas zumbis foram descobertas em Oregon, Washington, Califórnia e Dakota do Sul. Tudo começou quando Hafernik foi  buscar abelhas perto dos postes da faculdade para alimentar um grupo de louva-a-deus de outra pesquisa e acabou esquecendo o vidro com as abelhas em cima da mesa e dias depois, havia um grupo de larvas de mosca no pote. A partir daí, sua equipe conduziu a pesquisa que percebeu o comportamento anormal das abelhas.

“Elas voam em círculo, de uma forma desorientada, são atraídas para a luz, e, em seguida, caem e passeiam de uma maneira muito parecida com os zumbis que vemos em filmes. Às vezes, chamamos o fenômeno de “vôo dos mortos-vivos’”.

A infecção de uma colmeia começa quando uma mosca deposita seus ovos no abdômen de uma abelha. Uma vez infectada por parasitas, as abelhas abandonam suas colmeias para se reunir perto de fontes de luz. “Observamos que as abelhas infectadas começam a dar voltas sem nenhum sentido ou orientação”, explicou Andrew Core, pesquisador da Universidade do Estado, o principal autor destes estudos. A maioria das abelhas morre normalmente no lugar onde param e, às vezes, se encolhe antes de morrer”, acrescentou.

As abelhas que deixam a colmeia durante a noite são mais propensas a portar o parasita da mosca que obtém do pólen durante o dia. As análises genéticas das colmeias infectadas com este parasita mostraram que as abelhas e as moscas também estavam infectadas com um vírus que deforma as asas e com o fungo Nosema ceranae, de origem asiática, que pode causar micose.

Os entomologistas apontaram este vírus e os fungos como possíveis causas da “desordem de colapso da colônia”,um fenômeno observado desde 2006 que dizimou as populações de abelhas domésticas nos Estados Unidos cujo sintoma principal é o abandono das colmeias. Os autores querem investigar agora como o parasita da mosca Apocephalus borealis poderia ter um papel neste fenômeno.

Existe um projeto da Universidade de San Francisco e do Museu de História Natural de Los Angeles  chamado ZomBee Watch,no qual cidadãos cientistas contribuem para identificar abelhas melíferas infectadas pela mosca parasita Apocephalus borealis, que transforma esse polinizadores em zumbis.

o Site do projeto Zombeewatch: https://www.zombeewatch.org/

O vídeo abaixo em inglês ,ZombeeWatch.org está pedindo ajuda do público para relatar avistamentos de abelhas infectadas. Esses “zumbis” abandonam suas colmeias à noite, reunindo-se perto das luzes antes de morrer depois de um desorientado comportamento “zumbi”.

 

Outros vídeos mostram mais sobre as pesquisas realizadas sobre  a zumbificação das abelhas.

 

 



FONTE: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/01/mosca-parasita-transforma-abelha-em-zumbi-segundo-cientistas.html

https://www.curioso.blog.br/post/pequena-mosca-consegue-transformar-abelhas-verdadeiras-zumbis/

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2012/01/04/interna_ciencia_saude,285149/descoberto-um-parasita-da-mosca-que-transforma-as-abelhas-em-zumbis.shtml

https://abelha.org.br/ciencia-cidada-projeto-zombee/

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here